Mistérios do Kremlin e a saída de Luzhkov

Como prefeito, Iuri Luzhkov transformou Moscou. Recebeu de herança uma cidade sombria, repleta de prédios feios, construídos na era de Stalin. Com a dádiva dos petrodólares, a capital foi transformada num canteiro de obras. Surgiu uma nova Moscou, mas o restante da Federação Russa continuava arruinado.

Análise: Gilles Lapouge, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2010 | 00h00

A destituição suscita indagações quanto ao sistema do Kremlin. Há dois anos as pessoas se perguntam quem é seu dirigente. Quem é o verdadeiro patrão? Será o terrível Vladimir Putin, o perfeito autocrata que depois de ser presidente se tornou primeiro-ministro e pretende se candidatar novamente à presidência? Ou Dmitri Medvedev, com seu ar simplório? A demissão brusca de Luzhkov parecia responder a essa interrogação. Foi Medvedev quem assinou a ordem. Putin mantinha-se silencioso - até declarar apoio à decisão e dar a entender que participou da escolha do sucessor de Luzhkov. Conclusão: os mistérios do Kremlin persistem. /TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

É CORRESPONDENTE EM PARIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.