Chris Carlson/AP
Chris Carlson/AP

Mitt Romney perde força na luta por seu Estado natal

Erros de campanha fazem ex-governador ter vantagem estreita no Michigan, onde nasceu

Denise Chrispim Marin, correspondente

28 de fevereiro de 2012 | 20h21

WASHINGTON - O ultraconservador Rick Santorum e o conservador Mitt Romney se enfrentam na primária republicana de Michigan nesta terça-feira, 28 (quarta, 29, segundo o horário de Brasília).

 

Veja também:

blog PARA ENTENDER: Os Super-Pacs

tabela ESPECIAL: Eleições nos EUA 2012

 

Preparando a opinião pública para seu eventual fracasso, Romney acusou Santorum de ter usado “truques sujos” e disse que se recusaria a “pôr fogo no cabelo” para vencer a disputa. Até a noite de ontem, não havia resultados da disputa e pesquisas indicavam que os dois estavam praticamente empatados.

 

A média das pesquisas de opinião calculada pelo Real Clear Politics indicava uma vantagem de apenas 1,5 ponto porcentual para Romney, com 37,3%. Embora tenha governado Massachusetts, Romney nasceu em Michigan e nos anos 60 seu pai foi um popular governador do Estado – tido como um dos principais redutos da direita dos EUA.

 

Jogando em casa, o ex-governador admitiu que erros em sua campanha impulsionaram o nome de Santorum em Michigan. “O candidato, algumas vezes, comete erros, e então eu estou tentando fazer o melhor e trabalhar duro e deixar claro que nossa mensagem foi ouvida”, afirmou. “No final da análise, eu antecipo que serei o escolhido”, completou Romney, em Livonia.

 

No Arizona, a votação continuava, mas a vitória de Romney era dada como certa. As pesquisas de opinião o apontavam com 42,8% da preferência do eleitorado republicano e com 15,5 pontos porcentuais na frente de Santorum, o segundo colocado.

 

Em nenhuma das primárias de ontem o deputado Ron Paul e o ex-presidente da Câmara dos Deputados Newt Gingrich se destacaram. O senador teria se beneficiado especialmente dos erros cometidos e reconhecidos ontem por seu adversário.

 

As disputas no Arizona e em Michigan têm importância relativa. Envolve a indicação de 59 delegados para a Convenção Republicana, na qual será definido o oponente do presidente Barack Obama. O vencedor precisa de ao menos 1.114 delegados. Mas o resultado pode afetar a chamada “Superterça” – disputa em dez Estados agendada para o dia 6 e considerada a prova de fogo dos pré-candidatos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.