Mladic é hospitalizado após passar mal em julgamento

O ex-chefe militar servo-bósnio Ratko Mladic foi hospitalizado nesta quinta-feira após reclamar que não estava se sentindo bem durante seu julgamento, por acusação de genocídio, em Haia. Ele foi examinado por uma enfermeira do tribunal após sentir-se mal e enviado para um hospital "como medida de precaução", disse a porta-voz do tribunal de crimes de guerra da Iugoslávia, Nerma Jelacic.

AE, Agência Estado

12 de julho de 2012 | 14h10

O julgamento de Mladic por 11 acusações de genocídio, crimes de guerra e crimes contra a humanidade, foi adiado por um dia e deve seguir na sexta-feira. As primeiras testemunhas começaram nesta semana a fazer seus relatos contra o ex-general de 70 anos, que nega ter cometido os crimes.

Mladic já havia reclamado de sua saúde e sofreu dois acidentes vasculares cerebrais durante os 16 anos em que permaneceu em fuga, mas parecia saudável e alerta no tribunal durante esta semana.

Seu advogado, Branko Lukic, não atendeu os pedidos para falar sobre o assunto. Desde sua detenção na Sérvia, no ano passado, Mladic passou por uma cirurgia de hérnia e tem recebido tratamento para outras doenças, dentre elas pedras nos rins e pneumonia.

Os promotores haviam sugerido julgar Mladic primeiro pelo massacre de Srebrenica, de 1995, pelo qual ele é acusado de genocídio no assassinato de 8 mil muçulmanos bósnios, antes de iniciarem um julgamento separado pelas acusações de ter planejado outras atrocidades sérvias em toda a Bósnia durante a guerra, que durou entre 1992 e 1995, e deixou 100 mil mortos.

O tribunal já registrou experiências ruins com réus doentes. O ex-presidente iugoslavo, Slobodan Milosevic, morreu de ataque cardíaco em sua cela em 2006, forçando o fim prematuro do caso de genocídio contra ele. O julgamento de Milosevic se arrastava havia quase quatro anos, em parte por causa de seus problemas de saúde. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HOLANDAMLADICHAIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.