Mladic se recusa a testemunhar em defesa de Karadzic

O ex-comandante servo-bósnio general Ratko Mladic disse que o tribunal da Organização das Nações Unidas (ONU) para a ex-Iugoslávia é uma "corte satânica" e recusou-se a atuar como testemunha de defesa no julgamento de seu ex-mestre político, Radovan Karadzic.

Agência Estado

28 de janeiro de 2014 | 14h37

A reunião desta terça-feira do tribunal que julga os dois arquitetos das atrocidades sérvias durante a guerra da Bósnia, entre 1992 e 1995, durou apenas um hora, durante as quais Mladic disse aos juízes repetidas vezes que ele não responderia perguntas sobre o ex-presidente sérvio Karadzic.

Os dois são julgados separadamente por crimes que incluem genocídio e ambos afirmam ser inocentes.

Inicialmente Mladic se recusou a testemunhar, mas depois afirmou depois que o faria se os funcionários fossem buscar sua dentadura em sua cela. Mas quando seu pedido foi atendido, ele disse que estava muito doente para testemunhar e não queria correr o risco de se incriminar. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUKaradzictribunalex-Iugoslávia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.