Moçambique: Renamo boicota negociação com governo

O movimento político Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), de oposição, decidiu boicotar as negociações convocadas pelo governo de Moçambique para pôr fim a uma crise política que coloca em risco a estabilidade do país africano. A afirmação foi feita nesta segunda-feira pelo negociador-chefe do governo, José Pacheco.

AE, Agência Estado

23 de dezembro de 2013 | 15h53

A expectativa era de que o diálogo tivesse início hoje em Maputo, a capital moçambicana. Representantes do governo e da Renamo deveriam discutir o desarmamento dos combatentes do movimento, sua integração ao exército e aspectos da nova lei eleitoral do país.

De acordo com Pacheco, líderes do antigo movimento rebelde avisaram na última hora que só retornariam às negociações se o governo aceitasse a presença de observadores locais e estrangeiros. Pacheco disse que outra exigência deles era de que a Comissão Eleitoral fosse formada exclusivamente por integrantes da Renamo e da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), de situação.

No mês passado, a Renamo boicotou as eleições municipais e agora ameaça boicotar as eleições gerais de outubro do ano que vem se o governo não atender a suas exigências. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
MoçambiqueRenamoboicoteFrelimo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.