Moderado Mitt não é assim tão moderado

Conforme considera necessário, o republicano pende para direita ou para esquerda; quem quiser saber como candidato republicano governaria deve analisar quem ele teme

Ezra Klein, The Washington Post,

11 de outubro de 2012 | 09h47

WASHINGTON - Em 1991, o então presidente americano, presidente George H. W. Bush, elevou a alíquota marginal do imposto de renda de 28% para 31% para reduzir o déficit. Em 2003, John McCain apresentou ao Senado o primeiro projeto de troca de crédito de carbono para reduzir as emissões. Em 2006, o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney usou dólares federais, impostos estaduais e um mandato individual como base para a primeira assistência médica universal estadual bem-sucedida. Em 2008, George W. Bush promoveu e assinou lei prevendo um corte de impostos, o chamado "The Economic Stimulus Act of 2008" para aliviar o sofrimento causado pela recessão.

Tenha essas medidas políticas em mente quando analisar o programa apresentado pelo "moderado Mitt" no debate da quarta-feira. Romney prometeu que não elevará um centavo de imposto para resgatar uma dívida muito maior do que a encarada por George H. W. Bush. Não disse absolutamente nada sobre a mudança climática. Afirmou que a reforma da saúde deve ser feita Estado a Estado, mas propôs cortes no Medicaid que impossibilitarão totalmente qualquer Estado do país de fazer o que Massachusetts fez em 2006. Não ofereceu nenhuma ajuda a curto prazo para os desempregados, mas, ao contrário, sua proposta é que os EUA se concentrem em iniciativas a longo prazo, como a independência energética. E novamente proclamou sua fidelidade às promessas orçamentárias, o que significará um corte de 40% no orçamento em geral – exceto nos gastos militares, com a previdência social e o Medicare, em 2016, embora o único corte específico a que se referiu foi no programa PBS News Hour.

A lista dos momentos de moderação de Mitt, entretanto, é mais ou menos esta: "Uma regulamentação é essencial", afirmou. "Você não pode ter um livre mercado que funcione se não tem regulamentos". E jurou lealdade ao Medicare, embora queira transformá-lo num sistema em que os aposentados utilizariam um voucher para escolher entre o Medicare e seguradoras privadas.

Ele negou qualquer intenção de cortar impostos para os ricos, na verdade, para qualquer pessoa, mas não explicou como isso funcionaria diante da sua promessa de um corte de 20% nos tributos em geral.

Nos últimos anos, o critério dos americanos sobre o que significa ser um republicano moderado pendeu para a direita, assim como o Partido Republicano. Hoje, se você admite que o presidente Barack Obama provavelmente nasceu nos EUA, que o Tesouro americano provavelmente não daria calote nas dívidas que possui e alguém, em algum lugar, de vez em quando, teria de pagar impostos, então parabéns, você é um republicano moderado! Fato é que, hoje, um republicano moderado é o arquiconservador de alguns anos atrás. Um republicano moderado, hoje, acredita que o mandato individual é inconstitucional, apesar de os republicanos moderados terem vendido a ideia nos anos 90. Hoje, um republicano moderado acredita que não há nenhuma conclusão definitiva sobre o aquecimento global, embora os republicanos moderados tenham liderado a iniciativa para se fazer alguma coisa a respeito. Hoje, para um republicano moderado, os EUA devem tornar permanentes todos os cortes de impostos aprovados por Bush, apesar de os republicanos moderados terem tentado reduzir os cortes em 2001 e 2003, quando o país estava em situação muito melhor para se permitir a tais reduções.

Por que essa mudança? Porque hoje os republicanos moderados temem mais a sua base do que os eleitores independentes.

Os presidentes americanos tiveram de aprender, como ocorreu com George W. Bush com a reforma da imigração e com George H. W. Bush sobre os aumentos de impostos, que a ira conservadora pode colocar os republicanos no Congresso contra seu programa. Os republicanos no Congresso aprenderam que a ira conservadora pode levar a desafios fundamentais. Os eleitores indecisos, entretanto, estão menos submetidos a provas e são muito menos organizados.

Nem todos republicanos devem temer revoltas dos conservadores. Na quarta-feira, o moderado Mitt falou do seu sucesso trabalhando com democratas em Massachusetts. Romney foi muito eficaz ao trabalhar com os democratas em Massachusetts. Não tinha escolha. Os democratas eram maioria e tinham poder de veto no Legislativo e a divisão partidária no Estado é tamanha que ele não esperava vencer a reeleição sem um apoio substancial dos democratas.

Romney não é um moderado ideológico. É um executivo pragmático. Quando precisa governar a partir do centro, o faz. Quando necessita pender para a direita, não vacila. Se você deseja saber como ele governará, não ouça o que ele diz. Examine aqueles que ele teme. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

*É JORNALISTA

 
Tudo o que sabemos sobre:
Visão GlobalMitt Romneymoderado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.