Mofaz acusa Síria e Irã de responsabilidade em atentado

O ministro de defesa de Israel, Shaul Mofaz, acusou hoje (20) o Irã e a Síria de serem os responsáveis diretos pelo atentado suicida de ontem em Tel-Aviv que deixou pelo menos trinta feridos, além de ter causado a morte do homem-bomba.De acordo com o jornal Haaretz, o ministro afirmou que Israel tem "provas definitivas" de que o ataque foi resultado direto da ação de um suposto "eixo de terrorismo" do qual Síria e Irã fariam parte.Mofaz disse também que o Irã financiou e a Síria deu as ordens operacionais do atentado.Em Damasco, um funcionário civil do governo sírio negou a acusação de Mofaz. O diretor-geral da rádio e da televisão estatais da Síria, Fayez Sayegh, disse à Associated Press que a Síria "nada teve a ver" com o atentado de ontem contra Tel-Aviv.SharonEnquanto isso, um assessor revelou que o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, pode ser retirado do respirador artificial ao qual está conectado até o fim desta semana.Apesar da melhora na respiração do líder israelense, ainda não há indícios de que Sharon recobrará a consciência em breve. Ele sofreu um grave derrame cerebral em 4 de janeiro último. Desde então o primeiro-ministro não recobrou a consciência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.