AP
AP

Mohamed Morsi critica Assad e Irã e declara apoio à Palestina

Presidente do Egito fez discurso sobre política externa de seu governo

AE, Agência Estado

05 de setembro de 2012 | 10h34

CAIRO - O presidente do Egito, Mohamed Morsi, fez seu mais importante discurso sobre política externa nesta quarta-feira, 5. Falando durante um encontro de ministros de Relações Exteriores árabes, ele disse para o presidente da Síria, Bashar Assad, renunciar antes que seja tarde demais, criticou a interferência do Irã em questões árabes e declarou apoio às tentativas da Palestina de tornar-se membro pleno da ONU.

Veja também:

 linkPresidente do Egito visitará a Europa na semana que vem

 link Presidente do Egito reposiciona política externa sem magoar aliados

Morsi detalhou os objetivos da política externa de sua administração mais de dois meses após ter assumido o cargo como o primeiro presidente civil e eleito de forma livre do Egito. "Eu digo para o regime sírio que ainda há como interromper a matança. (...) É tarde demais para falar de reformas, agora é a hora de mudanças", afirmou ele.

Seus comentários sinalizam uma tentativa de tornar o Egito um dos líderes do Oriente Médio. Muitos egípcios afirmam que o país se contentou com um papel menor durante o regime do ditador Hosni Mubarak, derrubado no início de 2011 por uma revolta popular. Depois de 17 meses de governo militar, Morsi tornou-se o chefe de Estado.

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.