Monastério cristão é alvo de vandalismo em Israel

Um monastério cristão situado em uma colina próxima da estrada que liga Tel-Aviv a Jerusalém foi alvo de vandalismo, informou a polícia israelense nesta terça-feira. De acordo com a polícia, os muros do monastério foram pichados na calada da noite com inscrições anticristãs e pró-colonos. O portão do imóvel foi incendiado.

AE, Agência Estado

04 de setembro de 2012 | 12h01

Micky Rosenfeld, porta-voz da polícia de Israel, disse que o alvo do ataque foi o monastério trapista de Latrun, nas proximidades de Jerusalém. Uma das pichações dizia: "Jesus é um macaco!"

A suspeita recai sobre colonos judeus e simpatizantes. O ato de vandalismo teria sido motivado pelo recente desmantelamento de postos avançados de assentamentos judaicos na Cisjordânia pelo governo de Israel.

No passado, ações similares do governo levaram grupos ligados aos colonos a depredarem propriedades palestinas, lugares frequentados pela comunidade cristã e bases militares israelenses.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu informou que o chefe de governo está sendo constantemente informado sobre os esforços da polícia para capturar os autores do ato de vandalismo.

"Os responsáveis por este ato deplorável precisam ser severamente punidos", disse Netanyahu, segundo a nota. "A liberdade de religião e a liberdade de credo estão entre pilares fundamentais do Estado de Israel." As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelvandalismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.