Monção no Sri Lanka deixa 4 mortos e milhares de desabrigados

Em pontos do sul e do centro do país foram registradas chuvas acima dos 200 milímetros nos últimos dois dias

EFE

21 Maio 2018 | 05h48

COLOMBO - Pelo menos 4 pessoas morreram e milhares ficaram desabrigadas pelas fortes chuvas associadas à monção que desde quinta-feira passada castiga o sul e o centro do Sri Lanka, onde foram desdobrados 1.500 militares para lidar com a situação.

O diretor-geral do Centro de Gestão de Desastres, Sidambarampillai Amalanadan, disse nesta segunda-feira, 21, à Agência Efe que dois dos mortos foram registrados no distrito de Monaragala (sudeste) devido à queda de raios e um terceiro em Kegalle (centro) por causa de um deslizamento de terra.

+++ Ciclone deixa 16 mortos e 100 desaparecidos na Índia e Sri Lanka

Amalanadan não pôde dar detalhes sobre o quarto morto.

"Cerca de 1.500 soldados do Exército do Sri Lanka, da Marinha e das Forças Aéreas foram mobilizados em vários dos distritos afetados", detalhou a fonte, dizendo que em pontos do sul e do centro do país foram registradas chuvas acima dos 200 milímetros nos últimos dois dias.

"Também enviámos quatro embarcações aonde podem ajudar nas operações de resgate... As fortes inundações causaram danos sérios e deslocamentos em várias áreas", acrescentou Amalanadan.

+++ Deslizamentos de lama e enchentes deixam 100 mortos no Sri Lanka

O mau tempo, que se espera que continue nos próximos dias, também obrigou a evacuação de centenas de pessoas, entre elas 107 famílias de Sethawa.

O Governo cingalês começou a se preparar para o monção há um mês e declarou as semanas de 20 de maio a 2 de junho como períodos preparatórios, com 1.222 programas de conscientização, exercícios de treinamento e simulacros realizados até o momento, de acordo com Amalanadan.

O Sri Lanka enfrenta todo ano as fortes chuvas associadas à monção e sofreu vários desastres meteorológicos recentemente, o último deles em junho do ano passado, quando os deslizamentos de terra e inundações deixaram 212 mortos e 79 desaparecidos. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.