Monomotor caído nos EUA não tinha caixa-preta

O avião monomotor que caiu no último domingo em Montana, no norte dos Estados Unidos, acidente no qual 14 pessoas morreram, não tinha caixas-pretas. De acordo com especialistas em segurança aérea, descobrir o que causou a queda será mais difícil do que o normal por causa disso, além da ausência de informações importantes de radar e de algum pedido de socorro por parte do piloto da aeronave.

AE-AP, Agencia Estado

24 de março de 2009 | 09h38

Sem a ajuda dos gravadores de áudio e dados da cabine, conhecidos popularmente como caixas-pretas, estabelecer uma causa para a tragédia poderá demorar meses, disseram os investigadores. Eles estão avaliando a possibilidade de excesso de carga ou congelamento do motor terem influenciado no acidente.

Quatorze pessoas, sendo sete adultos e sete crianças, morreram na queda do avião em um cemitério a 150 metros da cabeceira da pista do aeroporto de Butte, disseram autoridades locais. O comando da aeronave estava a cargo de um piloto experiente. Familiares disseram que as vítimas dirigiam-se da Califórnia a uma estação de esqui em Montana. As crianças mortas tinham de um a nove anos de idade.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAaviãoqueda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.