'Monstro de Saitama' é executado no Japão

Japonês confessou ter assassinado quatro meninas entre 4 e 7 anos na década de 1980

Efe,

17 de junho de 2008 | 09h58

O japonês Tsutomu Miyazaki, conhecido como o "monstro de Saitama", foi executado nesta terça-feira, 17, por seqüestrar, mutilar e assassinar quatro meninas de 4 a 7 anos entre 1988 e 1989, informou a agência de notícias japonesa Kyodo. O Ministério de Justiça japonês confirmou o enforcamento de Miyazaki, cujos crimes no final dos anos 80 criaram uma forte comoção no Japão.   O "monstro de Saitama" foi condenado pela Corte Suprema à pena de morte em janeiro de 2006 após um processo que durou 16 anos, no qual foram revisadas várias vezes suas condições mentais. Segundo o juiz Tokiyasu Fujita, Miyazaki matou quatro meninas, duas de 4 anos, uma de 5 e outra de 7, "para satisfazer seu próprio desejo sexual e seu apetite de possuir fitas de vídeo nas quais gravava cadáveres".   Miyazaki foi detido em julho de 1989 por outro caso que incluía abusos sexuais a uma menina do oeste de Tóquio. Ele confessou então o seqüestro e estrangulamento das outras pequenas, crimes cometidos em um período de 10 meses. Antes de ser detido, em fevereiro de 1989, chegou a enviar à família de uma das menores uma carta na qual lhes avisava de seu assassinato, e pouco depois lhes enviou os restos mortais da menor.   O número de presos executados no Japão desde dezembro do ano passado subiu para 13, o maior em tão curto período de tempo desde que em 1993 o país resgatou a pena.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãomonstro de Saitama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.