Montanhista conta como decepou o braço para sobreviver

O montanhista americano que amputou o próprio braço depois de ter ficado cinco dias com ele preso sob uma rocha disse que não espera a hora de voltar à ação. Aron Ralston contou como cortou o braço direito durante uma entrevista em Grand Junction, Colorado, onde está se recuperando. "Eu fiz o que tinha que fazer", disse. Ele próprio admitiu que não sabe de onde surgiu a força para lidar com a situação. O drama de Ralston começou no dia 26 de abril. Ele foi até o parque Parque Nacional dos Cânions, no Colorado, com sua picape, parou o veículo no estacionamento, pegou sua bicicleta e pedalou cerca de 24 km até a abertura de uma garganta profunda.A idéia era descer o cânion, que terminava próximo do local onde a picape estava parada, pegar o veículo e ir buscar a bicicleta. O drama começou quando um grande rocha escorregou e prendeu a mão de Ralston contra a parede de pedra. O montanhista tentou várias alternativas para soltar a sua mão, desde tirar lascas da pedra com seu canivete até usar as polias e cordas que estava carregando para mover a rocha. Nada funcionou. Após três dias, a água e a comida acabaram. Nesse ponto, diz, ele começou a pensar que teria que se salvar sozinho. Ralston contou que tentou decepar sua mão com o canivete, mas que a lâmina estava quase cega. No quinto dia, ele diz ter percebido que a faca não seria suficiente para cortar os ossos, e decidiu que precisaria quebrá-los. Mesmo depois da cirurgia improvisada, Ralston teve que rastejar por um cânion tortuoso, descer um precipício de 18 metros e andar 10 km. Quando encontrou outros aventureiros e foi socorrido, estava a apenas cerca de 2 km de seu carro. Apesar de ter sangrado bastante e ter ficado desidratado, o alpinista chegou andando ao hospital onde foi tratado. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.