Montesinos acusa Humala de tê-lo ajudado em sua fuga do Peru

O ex-chefe dos serviços de inteligência do Peru, Vladimiro Montesinos, afirmou na sexta-feira, que o atual candidato à Presidência, Ollanta Humala, o ajudou a escapar do país criando uma falsa rebelião militar em 2000. Humala, ex-tenente-coronel do exército e que disputará com o ex-presidente Alan García o segundo turno da eleição, no dia 4 de junho, tem afirmado em sua campanha que lutou contra a corrupção do governo Fujimori com o levantamento militar em Locumba, em outubro de 2000. Montesinos comandou os serviços secretos durante o governo Alberto Fujimori e cumpre um mandato de 15 anos na prisão. No entanto, Montesinos declarou na sexta-feira, durante uma audiência associada aos inúmeros processos judiciais que pairam sobre ele, que Humala foi uma peça no tabuleiro que permitiu desviar a atenção dos peruanos e que possibilitou a sua fuga do país, já que Fujimori o acusava de corrupção. "A verdade de Locumba é que Humala ajudou a facilitar minha saída do país no veleiro Karisma, essa é a realidade", afirmou Montesinos, provocando uma reviravolta no ambiente político ao abalar a imagem de Humala, às vésperas da eleição presidencial de 4 de junho. Montesinos afirmou que Locumba foi "uma farsa, uma operação enganosa e manipuladora". A operação teria sido concebida por organismos de inteligência, controlados por Montesinos durante o mandato de Fujimori, entre 1990 e 2000. "Humala é um falso. Se a rebelião fosse o que diz Humala, deveria ter havido um levantamento com armas e com o respaldo de uma grande fatia dos oficiais do exército peruano, com respaldo dos cidadãos", afirmou. "A rebelião deveria ter desestabilizado o governo. Nada disso aconteceu", acrescentou.Humala respondeu às acusações na noite de sexta-feira. "Quero manifestar minha indignação pelas declarações de Montesinos", disse o candidato presidencial, acusando o seu oponente Alan García de estar por trás das declarações, dadas antes do debate deste domingo. Em entrevista coletiva, Humala disse que as declarações de Montesinos não tinham "nem pé, nem cabeça"."Quem se beneficia das declarações de Montesinos? Os comentários mancham a honra de Humala e, evidentemente, beneficiam García", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.