Monti descarta disputar as próximas eleições na Itália

O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, descartou disputar as eleições para o cargo quando seu mandato terminar. Seu predecessor, Silvio Berlusconi, está considerando entrar na disputa. Nesta quarta-feira Monti anunciou que não vai mais ser o ministro das Finanças, cargo que acumulava com o de primeiro-ministro. Será formado um "Comitê de Coordenação de Políticas Econômicas" para gerir a economia do país.

AE, Agência Estado

11 de julho de 2012 | 10h46

Monti, um ex-professor de economia, foi nomeado para chefiar um governo de tecnocratas no auge da crise financeira na Itália, em novembro. Ele diz que sempre excluiu a possibilidade de continuar após as próximas eleições. Depois de reunião com o ministro das Finanças da União Europeia na terça-feira, Monti afirmou que continuará como senador.

Um aliado próximo de Berlusconi disse que está crescendo um movimento de apoio ao ex-premiê. Disse Angelo Alfano nesta quarta-feira: "Eu acredito que no fim ele vai decidir concorrer". Berlusconi está sendo julgado por ter feito sexo com uma prostituta marroquina menor de idade e usado seu gabinete para encobrir o caso. As informações são da Associated Press e Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliapolíticaprimeiro-minsitro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.