Moradores de Gaza saem às ruas durante trégua

Moradores de Gaza lotaram bancos, mercados e lojas nesta quinta-feira para aproveitar o breve cessar-fogo que deu a eles a primeira trégua dos ataques israelenses em dez dias de pesados confrontos entre o Hamas e Israel.

Agência Estado

17 Julho 2014 | 09h26

Mas a trégua foi colocada em dúvida quando militantes de Gaza dispararam três morteiros na direção de Israel pouco depois do início da interrupção do conflito, às 10h (horário local, 4h00 em Brasília), mas o episódio parece ter sido um incidente isolado e Israel não respondeu.

A Cidade de Gaza, que foi um local virtualmente fantasma nos últimos dez dias, voltou à normalidade minutos depois do início da trégua. As ruas estavam cheias, motoristas tocavam suas buzinas e a polícia do Hamas organizava o tráfego em cruzamentos movimentados.

Filas com centenas de pessoas se formavam do lado de fora dos bancos, com pessoas de acotovelando e gritando para chegar aos caixas eletrônicos. Numa feira livre, os consumidores enchiam sacolas plásticas com frutas, vegetais e frangos recém abatidos.

A corrida para comprar comida e pegar dinheiro nos bancos indica que os moradores do território costeiro não esperam que o conflito com Israel vá se encerrar logo. O Egito fez uma nova proposta para um cessar-fogo, depois do fracasso da primeira delas no início da semana, mas as exigências de Israel e do Hamas são chegam a um denominador comum.

"A situação deve piorar porque não há uma saída clara", disse Moussa Amran, de 43 anos, doleiro que trabalha no centro da Cidade de Gaza.

A trégua temporária desta quinta-feira, intermediada pela Organização das Nações Unidas (ONU), aconteceu depois de Israel ter realizado cerca de 2 mil ataques aéreos contra Gaza nos últimos 10 dias e de o Hamas ter disparado mais de 1.300 foguetes contra Israel. Os confrontos mataram, até agora, mais de 230 palestinos e um israelense.

Os confrontos continuavam na manhã desta quinta-feira pouco antes do cessar-fogo. O Exército israelense informou ter impedido um ataque de 13 militantes que entraram em Israel por meio de um túnel saindo de Gaza. Aviões israelenses atacaram os militantes na boca do túnel, cerca de 250 metros dentro do território de Israel, perto de um kibutz.

Segundo o tenente-coronel Peter Lerner, porta-voz militar, o Exército acredita ter matado pelo menos um militante e que os demais voltaram para Gaza pelo túnel.

Imagens divulgadas pelos militares mostram algumas pessoas rastejando lentamente por o que parece ser um buraco no chão. Outras imagens mostram a explosão provocada pelo ataque na entrada do túnel. Lerner disse que os militantes estavam armados com "armas pesadas", que incluíam granadas propelidas por foguete. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Israel Gaza confrontos trégua Hamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.