Moradores de Punta Arenas negociam redução no preço do gás e fim de protesto

Uma mesa de diálogo que busca pôr fim a três dias de protestos pelo aumento do preço de gás na cidade de Punta Arenas, na Patagônia chilena, retomou as discussões ontem. O prefeito de Punta Arenas, Vladimiro Mimica, disse ter esperança de que um acordo será alcançado em breve. Os moradores de Punta Arenas, a 3 mil km ao sul de Santiago, rejeitam o aumento de 17% no gás natural, que entrará em vigor no dia 1.º. Por causa das baixas temperaturas durante grande parte do ano, o gás é de vital importância nesta região chilena e recebe elevado subsídio. Desde quarta-feira as principais avenidas e estradas da cidade estão bloqueadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.