Moradores evacuados pelo vazamento tóxico na Hungria voltam para casa

Autoridades mantém alerta em três condados; fendas detectadas no muro da indústria se estabilizaram

Efe

15 de outubro de 2010 | 05h53

BUDAPESTE - A partir desta sexta-feira, 15, os moradores de Kolontár, a comunidade mais afetada pelo vazamento tóxico ocorrido na Hungria, poderão voltar para casa, após serem evacuados no sábado passado, diante do perigo de uma eventual repetição do acidente.

Apesar de permitir o retorno dos evacuados, as autoridades manterão o alerta nos condados de Veszprém, Györ-Moson-Sopron e Vas, que está em vigor desde o último dia 5, informou a porta-voz da Defesa Civil, Györgyi Töttös.

Segundo ela, as fendas detectadas no muro norte da represa não aumentaram nesta sexta, depois de terem alargado 1,5 centímetro na quinta-feira.

O secretário de Estado para Meio Ambiente, Zoltán Illés, reiterou nos últimos dias que esse muro irá se desmoronar, mas que o dique de contenção construído nos arredores de Kolontár será suficiente para desviar uma possível segunda enchente, que também não teria o alcance da primeira.

Isso porque uma eventual repetição do acidente não seria de material líquido, mas quase sólido, que se movimentaria muito mais lentamente.

A enchente tóxica produzida pela ruptura de uma represa da fábrica de alumínio MAL no último dia 4 deixou nove mortos e 150 feridos e contaminou mais de 40 quilômetros quadrados com metais pesados.

As ruas de Kolontár e de Devecser, a outra localidade gravemente pela "lama vermelha", passam por limpeza e descontaminação, com grandes quantidades de gesso.

Diversas ONGs advertiram sobre a grande quantidade de micropartículas perigosas para a saúde tanto em Kolontár como em Devecser.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.