Morales participa de marcha para pressionar Congresso

Com uma bandeira boliviana nas mãos, o presidente Evo Morales participou hoje de uma marcha de campesinos e sindicalistas. A manifestação se dirige ao Congresso, a fim de exigir a aprovação de uma lei que convoque um referendo para decidir sobre uma nova Constituição. "Deixem que o povo boliviano diga sim ou não à nova Constituição, sinto que há um grande temor em relação a essa força, a esse movimento do povo", afirmou Morales enquanto se juntava aos milhares de manifestantes. "Com essas marchas pacíficas...esperemos que durante as próximas horas possam aprovar (os legisladores a lei) e que essa marcha se converta em uma grande festa." O referendo deve ser convocado por dois terços dos votos no Legislativo. Porém nem os opositores nem a situação conta com essa margem. Uma comissão com representantes de todas as forças políticas no Congresso mantém reuniões para discutir os temas de dissenso. Porém não houve acordo sobre a reeleição presidencial.Na noite de sábado, o ministro de Desenvolvimento Rural, Carlos Romero, afirmou que havia "um entrave nas negociações". O senador Roger Pinto, do oposicionista Partido Podemos, afirmou que a oposição não concordava com a proposta de encurtar o mandato de Morales e convocar eleições antecipadas. A marcha chegará a La Paz após sete dias de caminhada. O dirigente que encabeça a mobilização, Fidel Surco, prometeu que os manifestantes não se dispersarão antes de o Congresso aprovar a lei de convocatória para o referendo sobre a nova Carta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.