Morales planeja promover a produção de água e energia

O presidente da Bolívia, Evo Morales, expressou neste domingo seu desejo de promover um programa de desenvolvimento de energia e água que sirva como base para o progresso do país andino. O governante boliviano antecipou seu propósito na inauguração do VI Congresso de seu partido, o Movimento Ao Socialismo (MAS), que acontece na cidade de Cochabamba. Em um discurso de quase três horas para cerca de cinco mil de delegados de todo o país, Morales ofereceu ao congresso socialista um relatório combinado de sua gestão como presidente do MAS e como Chefe de Estado. Entre suas conquistas, Morales destacou a convocação à Assembléia Constituinte, a nacionalização dos hidrocarbonetos, o plano de alfabetização, a estabilidade macroeconômica e os esforços para atender às numerosas reivindicações de todos os setores. Afirmou ainda que o Governo socialista "cumpriu até certa parte" sua meta, mas ainda precisa "avançar mais" em seu projeto político. O presidente reprovou alguns militantes de seu partido que desde que chegaram ao Governo "estão mais preocupados com os cofres do que com o trabalho" que devem realizar. Morales também pediu ao congresso socialista apoio para aprovar uma resolução que exija que seus militantes entreguem a nova Constituição nacional em agosto de 2007, como foi previamente fixado. Em relação ao cultivo de coca, Morales ratificou sua censura aos Estados Unidos pela exigência de reduzir as plantações, e insistiu que seu Governo iniciou conversas com as Nações Unidas para conseguir a descriminalização da folha. No entanto, o presidente boliviano pediu aos cocaleiros que limitem seus cultivos, para demonstrar aos organismos internacionais a boa fé do projeto.

Agencia Estado,

12 Novembro 2006 | 00h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.