Morales promete aplicar política de ´cocaína zero´ em Chapare

O presidente da Bolívia, Evo Morales, durante encontro com o embaixador dos Estados Unidos, David Greenlee, comprometeu-se em reduzir os cultivos de coca excedentes na região de Chapare, no centro do país, e aplicar uma política de "cocaína zero".Morales e seu vice-presidente, Alvaro García Linera, tiveram uma prolongada reunião com o diplomata no palácio de governo de La Paz, para analisar a política antidroga que a nova administração boliviana aplicará.O governante, que chegou ao poder apoiado pelos sindicatos de produtores de coca de Chapare, no departamento de Cochabamba, afirmou ao final do encontro que os camponeses erradicarão de forma voluntária, ou com a ajuda da força antidroga, os cultivos excessivos da planta nessa região.A folha de coca tem na Bolívia usos culturais e medicinais antigos, mas também se destina à fabricação ilegal de cocaína. Segundo Morales, as plantações excedentes são as que estão acima do "cato de coca", uma medida equivalente a uma superfície de 40 metros por 40 metros.No final de 2004, os produtores de coca de Chapare se comprometeram com o então presidente Carlos Mesa a cultivar um cato de coca por família, num total de 3.200 hectares semeadas. O acordo não teve o apoio dos EUA.Segundo Morales, esse acordo teve como efeito a pacificação de Chapare onde não voltou a se registrar "nem um morto, nem um ferido, nem um bloqueio de estradas, nem uma manifestação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.