Morales quer aprovar projeto de Constituição no domingo

Assembléia tem até 14 de dezembro para entregar um novo texto Constituição

EFE

24 de novembro de 2007 | 06h42

O Movimento Ao Socialismo (MAS), partido do presidente Evo Morales, espera aprovar neste domingo, em um quartel da cidade boliviana de Sucre, à revelia da oposição, um projeto de Constituição promovido pelo chefe de Estado, informaram neste sábado fontes da Assembléia Constituinte. O vice-presidente da Assembléia, Roberto Aguilar, do MAS, confirmou que "certamente" o projeto vai a debate neste sábado, sem violar as normas. "Como se aprova o documento? Por maioria absoluta. Quem tem a maioria absoluta? O MAS", sentenciou Aguilar. A Assembléia retomou os trabalhos, suspensos há três meses, em um quartel de Sucre. A oposição não participou da sessão, em um dia marcado por distúrbios que deixaram mais de 50 feridos. A sessão da Constituinte contou com a presença de 145 dos 255 membros eleitos em 2006, todos governistas ou aliados. Enquanto isso, Sucre assistia a protestos liderados por universitários. Eles levantaram barricadas, enfrentaram a Polícia e acenderam fogueiras em frente ao teatro que serve como sede oficial da Assembléia. Às 21h30 (23h30 de Brasília), continuavam os choques entre a Polícia e os universitários, que lançavam dinamite pelas ruas. A oposição rejeitou a sessão da maioria governista por ser realizada em um quartel militar. Além disso, não aceitou a agenda programada, que não incluiu o debate sobre a sede do Governo e o Parlamento. A Assembléia tem até 14 de dezembro para entregar uma nova Constituição, que ficou paralisada por mais três meses devido aos distúrbios causados pela exigência de Sucre em ser a sede dos poderes Executivo e Legislativo, que estão em La Paz.

Tudo o que sabemos sobre:
MoralesBolívia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.