Morales vê ameaça em bases americanas na Colômbia

O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou que a instalação das bases militares norte-americanas na Colômbia não é uma medida "contra as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), nem contra o narcotráfico, mas sim uma ameaça à região". Após uma reunião com o presidente colombiano, Álvaro Uribe, Morales afirmou: "Temos a obrigação de dizer a verdade para defender a dignidade dos bolivianos e da América do Sul."

AE-AP, Agencia Estado

05 de agosto de 2009 | 18h01

Álvaro Uribe abordou o assunto na noite de ontem em um encontro com o líder boliviano. Morales disse ter afirmado que a Bolívia levará à reunião da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), em Quito, no dia 10, um projeto de resolução para que "não se aceite nenhuma base militar dos Estados Unidos em nenhum território da América do Sul". Morales vê nesses acordos militares "submissão a um governo". Porém ele também condenou as Farc, qualificando-as como "o melhor instrumento do império (EUA) nestes momentos". Morales disse que proporá na reunião da Unasul a regionalização do combate ao narcotráfico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.