Morales vê relação diplomática difícil com o México

O presidente da Bolívia, Evo Morales, mostrou-se pessimista na quarta-feira sobre a melhora das relações entre seu país e o México, ao mesmo tempo que assegurou ter sido humilhado pelo ex-presidente Vicente Fox. "Entretanto não tenho contato com o novo presidente do México (Felipe Calderón), ainda que, no ano passado, eu tenha sido discriminado, marginalizado e humilhado publicamente por seu colega", disse Morales em uma coletiva de imprensa durante a cúpula presidencial do Mercosul no Rio de Janeiro. O mandatário assegurou ter informação que Calderón, que assumiu dia 1o de dezembro e pertence ao mesmo partido de Fox, "é da mesma tendência". O choque entre Morales e Fox ocorreu no final do ano passado, quando o ex-presidente mexicano disse, em uma entrevista a uma rádio, que os bolivianos podiam "comer" seu gás se não quisessem exportar para o México. Morales começou em maio do ano passado uma nacionalização dos hidrocarbonetos na Bolívia, que afetou planos privados de investimento que incluíam a exportação de gás natural ao México. Apesar do mau ambiente diplomático, Morales disse que buscará fortalecer as relações entre ambos os países. "Respeitamos muito e vamos aguentar qualquer humilhação e, embora nunca tenha havido uma aproximação até agora, não vamos romper relações", ressaltou. Morales é um forte aliado na região do presidente venezuelano, Hugo Chávez, que retirou em 2005 seu embaixador no México por considerar Fox um "cachorro do império" norte-americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.