Mordomo do papa é transferido para prisão domiciliar

Paolo Gabriele é suspeito de vazar documentos confidenciais do Vaticano

AE, Agência Estado

21 de julho de 2012 | 16h13

O mordomo do papa Bento XVI foi transferido para prisão domiciliar quase dois meses depois de ter sido preso por suspeita de envolvimento no vazamento de documentos confidenciais do Vaticano.  O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, disse neste sábado que Paolo Gabriele deve retornar para a casa de sua família na própria cidade-Estado enquanto a justiça vaticana decide se ele irá a julgamento ou se a investigação será abandonada. A decisão é aguardada para os próximos dias.

Gabriele foi preso no dia 23 de maio sob suspeita de roubo e vazamento de documentos que expunham casos de corrupção, lutas internas e disputas de poder nos níveis mais altos do Vaticano.  Enquanto isso, um painel especial, composto de cardeais, informou o papa a respeito do andamento de investigação interna da Santa Sé sobre o assunto. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Vaticanomordomovazamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.