Jiji Press / AFP
Jiji Press / AFP

‘Morram!’, gritou suspeito de incêndio que matou 33 no Japão ao atear fogo a prédio

Identidade do agressor não foi revelada e ele está sob custódia num hospital após ter ficado ferido nas chamas

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2019 | 11h50

KYOTO, JAPÃO - A rede de TV pública NHK, do Japãodeu os primeiros detalhes do incêndio  em um estúdio de animação em Kyoto, nesta quinta-feira, 18, que deixou ao menos 33 mortos. Segundo o canal, citando investigadores da polícuia, o suspeito de atear fogo ao prédio gritou “Morram!” antes de atear fogo à gasolina que espalhou na porta do edifício. A identidade do agressor não foi revelada e ele está sob custódia num hospital após ter ficado ferido no incêndio. 

O motivo do ataque ainda é desconhecido e o suspeito ainda não foi interrogado.  O fogo começou na porta do prédio e se espalhou pelos três andares. Há mortos espalhados por todo o edifício.

O ataque comoveu os japoneses que enviaram mensagens de luto e solidariedade nas redes sociais. A hashtag “rezem por Koani” se popularizou nas redes do país. 

O primeiro-ministro Shinzo Abe condenou o ataque, que classificou de “chocante demais para ser descrito em palavras”.

Bombeiros levaram três horas para conter as chamas

Segundo os bombeiros, testemunhas relataram que ouviram detonações no primeiro andar. O incêndio começou por volta das 10h30 (22h30 em Brasília) e foi contido quase em sua totalidade três horas depois, embora a fumaça ainda saísse de algumas janelas, de acordo com imagens transmitidas por emissoras de televisão locais.

Com cerca de 160 funcionários, a Kyoto Animation foi criada em 1981 e produz programas de cinema e anime para a televisão. Entre suas produções estão K-ON! e A Melancolia de Haruhi Suzumiya.

O incêndio de quarta-feira é o mais mortífero no país desde 2001, quando as chamas mataram 44 pessoas no distrito de Kabukicho, em Tóquio.

Maioria morreu no acesso ao telhado

Os corpos de 19 das 33 pessoas que morreram no incêndio foram encontrados na escadaria para o telhado, cuja porta estava fechada, de acordo com relatórios oficiais divulgados nesta sexta-feira, 19.

As autoridades acreditam que as pessoas tentaram escapar para o telhado no meio da fumaça e das chamas, mas não conseguiram, pois não puderam abrir a porta.

A rede de televisão pública NHK também mencionou que as equipes de resgate encontraram a porta fechada, mas não com uma chave. Existe a possibilidade da porta ter sido bloqueada por corpos que se acumularam perto dela e isso impediu o restante de acessar o telhado.

Além dos 19 corpos encontrados no acesso ao telhado, outros 11 foram localizados no segundo andar, dois no primeiro e mais um nos degraus que ligavam o segundo e o terceiro andar. /AFP e REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.