Jaafar Ashtiyeh/AFP
Jaafar Ashtiyeh/AFP

Morre adolescente palestino baleado em confronto na Cisjordânia

O jovem de 17 anos foi ferido durante um protesto contra a colônia israelense de Eviatar, instalada na região no início de maio

Redação, O Estado de S. Paulo

24 de julho de 2021 | 10h05

JERUSALÉM - Morreu o adolescente palestino, Mohamed Munir Al Tamimi, ferido por um tiro no estômago nesta sexta-feira, 23, durante um conforto com soldados israelenses na Cisjordânia. Segundo o Ministério da Saúde da Palestina, o jovem de 17 anos faleceu neste sábado, 24, em um hospital da região. 

O confronto desta sexta ocorreu após um protesto de palestinos contra a colônia israelense de Eviatar. Centenas de manifestantes se reuniram na cidade de Beita, localizada na província de Nablus e palco de tensões nos últimos meses. Na ocasião, ao menos 320 palestinos ficaram feridos, a maior parte devido ao gás lacrimogêneo, segundo o Crescente Vermelho, entidade palestina de ajuda humanitária. Outras 21 pessoas foram atingidas por munição letal e 68 por balas de borracha. 

O assentamento de Eviatar foi estabelecido ao sul da província no início de maio, sem permissão do governo de Israel. Após semanas de confrontos e tensões, os colonos concordaram em evacuar o local, mas deixaram suas casas, aguardando a revisão da propriedade da terra pelo Ministério da Defesa israelense. 

O acordo, porém, não foi aceito pelo prefeito de Beita. O líder local afirmou que “confrontos e manifestações continuarão” enquanto os israelenses não deixarem o território. 

Em um comunicado oficial, o exército de Israel descreveu o protesto desta sexta como “violento” e declarou que palestinos atiraram pedras contra as tropas israelenses. O texto ainda afirma que o incidente será investigado. /AFP e EFE 

Tudo o que sabemos sobre:
Palestina [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.