Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Kieran Doherty/Reuters
Kieran Doherty/Reuters

Morre aos 27 anos a cantora Amy Winehouse

Ela foi encontrada em seu apartamento em Londres; causa da morte não foi divulgada

AP, Reuters e Nyt, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2011 | 00h00

Foi encontrada morta na tarde de ontem, em seu apartamento no norte de Londres, a cantora inglesa Amy Winehouse. Maior voz da moderna soul music, ela estava com 27 anos. A causa da morte não foi divulgada pela polícia, que aguarda os resultados da autópsia, marcada para a manhã de hoje.

Pela manhã, a polícia foi chamada para socorrer uma jovem desfalecida em um prédio de Camden. O nome do autor da ligação permanece em sigilo. Identificada pelo serviço de saúde da cidade e pelos paramédicos, a jovem logo foi declarada morta.

Um porta-voz da polícia afirmou que a morte de Amy Winehouse ainda "não tem explicação", e que não fará conjecturas até que a autópsia estabeleça a causa da morte. Mas o passado de abuso de drogas e álcool - Amy era presa fácil da imprensa de celebridades e não se constrangia em cantar sua dependência química (Rehab) e tendência à autodestruição (You know I"m no good) - foram relembrados por sites de notícia e pelos fãs, no Twitter e no Facebook.

Em junho, a artista havia cancelado uma turnê europeia após um show em Belgrado. Incapaz de pronunciar as letras de suas músicas, foi vaiada e acabou retirada do palco. Voltou a Londres para, segundo seus empresários, "descansar e se recuperar". Na semana passada, foi vista passeando por ruas nas imediações de sua casa.

O pai de Amy Winehouse estava em Nova York e, após receber a notícia da morte da filha, embarcaria ontem à noite para a Inglaterra. Amigos da família informaram que ele só deve se pronunciar após a divulgação do resultado da autópsia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.