Tyler Hicks/The New York Times
Tyler Hicks/The New York Times

Morre, aos 74 anos, o ex-presidente do Haiti René Préval

Ele foi o primeiro líder democraticamente eleito no país; Brasil lamentou a morte

O Estado de S.Paulo

04 de março de 2017 | 05h18

PORTO PRÍNCIPE - René Préval, um dos maiores líderes da história recente do Haiti e primeiro presidente eleito democraticamente no país, morreu nesta sexta-feira, 3, aos 74 anos.

O atual presidente do país caribenho, Jovenel Moise, confirmou a morte de Préval por meio do Twitter. "Recebi com tristeza a morte do ex-presidente René Préval. Eu me curvo aos restos deste digno filho do Haiti", escreveu.

Não foi revelada oficialmente a causa da morte de Préval, que se tratou de um câncer de próstata em Cuba, em 2001.

Préval presidiu duas vezes o Haiti. Na primeira eleição, em 1995, ele conseguiu quase 90% dos votos.

Em 2006, iniciou seu segundo mandato, que foi marcado pelo devastador terremoto de janeiro de 2010, que deixou 310 mil mortos, e suas sequelas caóticas.

Préval nasceu em 17 de janeiro de 1943 no povoado de Marmelade, no norte rural do Haiti. Ele se graduou em agronomia na Bélgica e em ciências geotérmicas na Itália. Em 1988, voltou ao Haiti em definitivo, onde liderou a resistência à ditadura de Baby Doc. / AP

Brasil. Em nota, o governo brasileiro lamentou a morte de Préval e transmitiu sua solidariedade com a população do país caribenho.

"O ex-presidente Préval desempenhou um papel fundamental na consolidação da democracia no Haiti. Ele governou o país por dois mandatos completos, entre 1996 e 2001 e entre 2006 e 2011. E conduziu o país em um momento de grande provação, com o terremoto de 2010, que fez dezenas de milhares de vítimas fatais", segundo um comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores.

O Brasil liderou a missão das Nações Unidas para a estabilização política do Haiti. Até hoje, o País é o que tem o maior número de soldados no país caribenho e impulsionou diversos projetos de desenvolvimento da nação mais pobre das Américas, como a construção de uma hidrelétrica. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.