David S. Holloway/AFP
David S. Holloway/AFP

Morre aos 90 anos Gordon Liddy, um dos responsáveis pelo escândalo Watergate

Causa do falecimento do ex-agente do FBI não foi revelada; em 1973, Liddy foi condenado por conspiração, roubo e escuta telefônica ilegal e ficou preso por 4 anos e 4 meses

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2021 | 02h09

WASHINGTON - Gordon Liddy, um dos responsáveis ​​pela operação clandestina que causou o escândalo Watergate e levou à renúncia do presidente Richard Nixon, morreu na terça-feira, 30, aos 90 anos, informou a mídia norte-americana.

Ele faleceu na casa de sua filha no Estado da Virgínia. A causa da morte não foi revelada, embora não esteja relacionada à covid-19, de acordo com a família.

Liddy, um ex-agente do FBI, orquestrou com um ex-agente da CIA, Howard Hunt, a operação em que, em 1972, dois homens se passaram por encanadores para entrar na sede nacional do Partido Democrata, localizada no complexo de edifícios Watergate, em Washington.

As investigações sobre a invasão do comitê, durante a corrida eleitoral pela presidência, deram início ao caso que se tornaria uma referência histórica no combate à corrupção e abuso de poder.

Dois repórteres do The Washington Post, Bob Woodward e Carl Bernstein, conduziram a série de reportagens que apontaram o envolvimento da administração do republicano Richard Nixon (reeleito presidente em 1972 ) na tentativa de arrombamento do QG do partido para instalação de aparelhos de escutas.

Após a revelação feita pelo jornal, Nixon foi confrontado com um processo de impeachment parlamentar e finalmente decidiu renunciar antes que o processo terminasse.

Em seguida, Liddy foi condenado em março de 1973 a uma pena de prisão de 20 anos por conspiração, roubo e escuta telefônica ilegal. No entanto, o presidente democrata Jimmy Carter comutou a sentença em 1977 e Liddy foi solto após 52 meses atrás das grades.

Então, ele se tornou um apresentador de rádio de sucesso. Na série da HBO sobre o escândalo Watergate, o ex-agente foi interpretado pelo ator americano Justin Theroux./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.