Morre aos dois anos menina que tinha duas cabeças

Uma menina egípcia que nasceu com duas cabeças morreu treze meses depois que os médicos extirparam uma delas, a que não tinha desenvolvido o resto do corpo, informou hoje o jornal local Al-Masri Al-Youm. A menina, chamada Emanar Maged, morreu sábado após sofrer uma infecção no cérebro que conduziu a uma deterioração rápida nas funções do coração, informou o diretor do hospital pediátrico de Lardo (no Delta do Nilo), Nasif Al Hifnawi, citado pelo jornal. A menina foi internada no centro médico na sexta-feira com febre e problemas na circulação e pouco depois perdeu a consciência e teve dificuldades na respiração, explicou o médico. O coração da menina não respondeu aos remédios fornecidos, o que causou sua morte, acrescentou Al Hifnawi. Emanar nasceu em março de 2004 e onze meses depois foi submetida a uma operação bem-sucedida de 16 horas para extirpar-lhe a cabeça que, segundo os médicos, estava unida ao corpo de maneira antinatural. No entanto, a menina teve problemas cerebrais após a operação, e há dez dias teve que ser operada novamente, mas desta vez não conseguiu superar a crise.

Agencia Estado,

26 Março 2006 | 07h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.