Morre bebê que nasceu após pais sofrerem acidente em NY

Um bebê que nasceu prematuramente depois que seus pais foram mortos no sábado, em um acidente em Nova York, morreu nesta segunda-feira, disse Isaac Abraham, porta-voz da comunidade judaica ortodoxa da cidade norte-americana. A criança estava em estado grave após os médicos realizarem uma cesariana.

Agência Estado

04 de março de 2013 | 20h46

A polícia segue procurando Julio Acevedo, de 44 anos, motorista do BMW que fugiu a pé depois de bater em um táxi em um cruzamento, matando Nachman e Raizy Glauber, ambos de 21 anos. Raizy, grávida de sete meses, e seu marido estavam a caminho de um hospital. O taxista sofreu ferimentos leves e foi liberado.

Segundo a polícia, Acevedo, que já foi preso por dirigir embriagado em fevereiro, estava a pelo menos 100 km/h, duas vezes acima do limite de velocidade no momento da colisão. Além disso, Acevedo já esteve oito anos na prisão sob a acusação de homicídio e violou a liberdade condicional.

"Nós, da comunidade judaica, estamos exigindo que o promotor indicie o motorista da BMW que causou a morte do casal e da criança por triplo homicídio", afirmou Abraham, em um comunicado. "Este covarde deixou a cena do acidente sem se preocupar em verificar como estavam as pessoas do outro carro.''''

A causa do acidente ainda está sob investigação. O motorista do BMW deve, no mínimo, enfrentar a acusação de omissão de socorro. Já o proprietário registrado do veículo, que não estava no carro no momento do acidente, já foi acusado de fraude de seguros. Ele se chama Takia Walker, tem 29 anos e foi preso no domingo.

Uma pessoa familiarizada com a investigação disse que Walker comprou o carro legalmente e, em seguida, o entregou a um outro homem. Os investigadores estão tentando localizar este homem, que teria emprestado ou alugado o carro para Acevedo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAacidentebebê

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.