AP
AP

Morre deputado argentino baleado em frente ao Congresso

Héctor Olivares havia ficado gravemente ferido no ataque, no qual seu assessor morreu

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2019 | 21h36

BUENOS AIRES - O deputado argentino Héctor Olivares, vítima de um ataque a tiros em frente ao Congresso na quinta-feira, morreu neste domingo no hospital em razão dos ferimentos provocados pelo atentado, no qual morreu seu assessor Miguel Yadón.

A polícia deteve seis pessoas, entre elas os dois supostos agressores que estavam em um automóvel quando fizeram os disparos. As autoridades atribuem o ataque a razões pessoais, não políticas, e creem que o alvo era Yadón. Os investigadores tentam determinar se Yadón teria sido realmente alvo do ataque por suas atividades antes de chegar ao cargo público - ele era empresário do ramo de transportes.

O presidente provisório do Senado da Argentina, Federico Pinedo, lamentou a morte de Olivares e enviou um "forte abraço" à família dele  amigos e correligionários. Pinedo integra a coalizão governista Cambiemos, da qual Olivares também participava.O deputado foi ferido na região abdominal e a bala atingiu seu fígado, cólon, pâncreas e as vias biliares.

O ataque ocorreu por volta das 7 horas, quando atiradores abriram fogo de dentro de um automóvel contra Olivares e Yadón enquanto os dois caminhavam pela praça localizada em frente ao Congresso.  O local é monitorado 24 horas por uma grande quantidade de câmeras e é comum a presença de policiais. / EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.