SHAWN THEW/EFE
SHAWN THEW/EFE

Morre enviado de Obama ao Paquistão e ao Afeganistão

Richard Holbrooke foi um dos mais ferrenhos críticos da política externa de George W. Bush

Agência Estado

14 de dezembro de 2010 | 00h09

WASHINGTON - O diplomata americano Richard Holbrooke, de 69 anos, enviado especial do presidente Barack Obama ao Paquistão e ao Afeganistão, morreu nesta segunda-feira, 13, após passar o fim de semana internado em um hospital de Washington com problemas no coração.

 

Ele estava hospitalizado desde sexta-feira e foi submetido a uma cirurgia para reparo da artéria aorta no sábado. No domingo, passou por nova cirurgia para melhorar a circulação, mas não houve êxito.

 

Sua carreira diplomática começou ainda na guerra do Vietnã, durante o governo John F. Kennedy. Ele foi um dos responsáveis pela redação dos "Papéis do Pentágono", em 1971, documento secreto de 14 mil páginas sobre a história do planejamento interno e da política nacional sobre a Guerra do Vietnã.

 

Holbrooke foi responsável também por mediar o acordo de Paz de Daytona, de 1995, que pôs fim à guerra dos Bálcãs e foi secretário de Estado adjunto, além de embaixador americano na Alemanha e na ONU.

 

Holbrooke foi um dos críticos mais ferrenhos à política de George W. Bush para o Afeganistão, e passou a integrar a equipe de Obama em 2009, com o importante cargo de enviado especial americano à guerra, uma das prioridades de política externa do presidente.

 

O diplomata sentiu-se mal na sexta-feira durante reunião com a secretária de Estado, Hillary Clinton, no Departamento de Estado e foi levado às pressas ao hospital. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.