Morre ex-chanceler argentino Guido di Tella

O ex-ministro argentino das Relações Exteriores, Guido di Tella, morreu ontem, disseram nesta terça-feira familiares do ex-chanceler. Ele tinha 71 anos. De acordo com seus parentes, a causa foi um derrame cerebral. Di Tella faleceu na segunda-feira em sua casa de campo na localidade de Navarro, 100 quilômetros a oeste de Buenos Aires. Ele deverá ser sepultado amanhã, já que a família aguarda o retorno de dois de seus filhos que residem fora da Argentina. Engenheiro de profissão, Di Tella chefiou a chancelaria argentina entre 1991 e 1999, durante a maior parte dos dois mandatos exercidos por Carlos Menem. Ele foi um dos principais responsáveis pela retomada das relações diplomáticas entre Argentina e Grã-Bretanha após a Guerra das Malvinas, travada em 1982. Di Tella era também um entusiasta do alinhamento diplomático entre seu país e os Estados Unidos. É de autoria dele a expressão "relações carnais" com Washington, o que lhe valeu muitas críticas. O ex-chanceler e outros ministros do governo Menem eram investigados devido à venda ilegal de armas à Croácia e ao Equador entre 1991 e 1995. Porém, Di Tella foi considerado "inimputável" após exames médicos terem demonstrado que ele sofrera redução de sua capacidade mental.

Agencia Estado,

01 Janeiro 2002 | 14h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.