Morre ex-ditador de Mianmá, aos 92 anos

O ex-ditador Ne Win, que governou Mianmá (ex-Birmânia) entre 1962 e 1988, morreu esta manhã, aos 92 anos. Segundo fontes próximas à família, Win se encontrava em más condições de saúde e vivia recluso junto ao lago de Rangum, de onde saía apenas para submeter-se a tratamento médico em Cingapura. O ex-ditador, que recebia os cuidados de sua filha médica, Sandar Win, estava em prisão domiciliar desde março passado, depois que três de seus netos foram detidos sob acusação de perpetrarem um complô contra o governo.A descoberta do complô teve grande repercussão no país e demonstrou que a dinastia de Ne Win - detestada pela maioria da população local - não era mais intocável. Após serem presos, os netos de Win foram julgados e condenados à morte em 26 de setembro passado e apelaram da sentença. Ne Win chegou ao poder por meio de um golpe de Estado em 1962 e se retirou do cenário político em 1988, deixando o país em ruínas em meio a revoltas estudantis, depois de tentar aplicar uma política de "socialismo birmanês", de inspiração "marxista-budista".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.