Morre ex-presidente da Geórgia importante para abertura da URSS

Eduard Shevardnadze foi o principal apoio de Gorbachev no processo de mudanças liderado pelo líder soviético entre 1985 e 91

O Estado de S. Paulo

07 Julho 2014 | 08h29

TBILISI - O ex-presidente da Geórgia Eduard Shevardnadze, figura-chave do processo de abertura democrática da União Soviética conhecido como Perestroika, morreu nesta segunda-feia, 7, aos 86 anos, informou sua assessoria de imprensa.

Shevardnadze, ex-ministro de Relações Exteriores da União Soviética, morreu às 12 horas (5h no horário de Brasília) em sua casa, de Tbilisi, segundo o comunicado.

Aposentado da política desde 2003, quando renunciou à chefia do Estado georgiana após a chamada Revolução da Rosas, Shevardnadze estava gravemente doente, explicou sua secretária particular Marina Davitashivili.

Considerado o georgiano mais famoso após Josef Stalin, Shevardnadze foi o principal apoio de Mikhail Gorbachev no processo de mudanças que o líder soviético liderou entre 1985 e 1991. Os caminhos dos dois se separaram em dezembro de 1990, quando Shevardnadze renunciou publicamente a seu cargo de chanceler após denunciar que estava começando uma ditadura no país.

Em agosto do ano seguinte, o setor conservador do Partido Comunista da União Soviética protagonizou um levante golpista contra Gorbachev que precipitou a desintegração da URSS.

Em 1992, em seu retornou à Geórgia, Shevardnadze foi nomeado presidente do Conselho de Estado, principal cargo do país, e três anos depois foi eleito presidente em eleições gerais, mandato que renovou nas urnas em 2000 com maioria arrasadora.

O ex-presidente foi alvo de atentados fracassados em pelo menos duas ocasiões, que o próprio político georgiano atribuiu aos serviços de segurança russos. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.