Morre ex-presidente que implantou lei islâmica no Sudão

Morreu neste sábado, aos 79 anos, o ex-presidente sudanês Gaafar Numeiri, que implantou a lei islâmica no país, informou hoje a agência de notícias estatal do país. Ele assumiu a presidência em 1969 e manteve-se no poder por 16 anos. A agência não divulgou a causa da morte de Numeiri.

AE-AP, Agencia Estado

30 de maio de 2009 | 17h39

O ex-presidente manteve o comando do país mesmo depois da tentativa de golpe de um grupo comunista, no início da década de 70. Em seu governo, Numeiri assinou um acordo de paz em 1972 com um grupo rebelde do sul, em guerra desde 1955. O acordo garantiu às maiorias cristã e animista do sul do país maior autonomia em relação à maioria muçulmana do norte.

No entanto, a imposição da lei islâmica, ou Sharia, em 1983, no país, aumentou as tensões entre o sul e o norte. Pouco tempo depois, ele dissolveu o governo do sul, violando acordo firmado em 1972, o que levou à retomada da guerra civil, que só acabou em 2005.

O ex-presidente sudanês foi um firme aliado dos Estados Unidos e era o único líder árabe a apoiar o presidente egípcio Anwar Sadat, depois que ele assinou os acordo de Camp David com Israel em 1978, que abriu o caminho para paz entre os dois países. Em 1985, o país sofreu um golpe de Estado, levando Numeiri a viver exilado no Egito até 1999, quando o sudanês Omar al-Bashir permitiu o seu retorno ao país.

Tudo o que sabemos sobre:
SudãoNumeirimorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.