Morre indiana vítima de estupro coletivo

Uma jovem indiana que foi violentada por um grupo de homens no interior de um ônibus em movimento em Nova Délhi e lutava pela vida em um hospital de Cingapura não resistiu aos ferimentos e morreu, informaram médicos.

AE, Agência Estado

28 de dezembro de 2012 | 20h17

Por meio de nota, o Hospital Monte Elizabeth informou que a jovem estudante "morreu pacificamente" nas primeiras horas de sábado, pelo horário de Cingapura.

Depois de dez dias internada em Nova Délhi, a estudante de 23 anos de idade foi transferida ontem para o hospital cingapuriano, especializado em transplantes múltiplos de órgãos.

Mais cedo, o doutor Kelvin Loh, executivo-chefe do hospital, havia advertido para a deterioração da saúde da jovem indiana no decorrer da sexta-feira. "Houve uma virada para pior", observou o médico.

De acordo com relatos, os agressores da jovem usaram uma barra de ferro durante o ataque, o que resultou em graves danos internos.

A jovem já havia sofrido antes uma parada cardíaca, infecções pulmonar e abdominal e um "significativo" dano cerebral, segundo o hospital.

Os familiares da jovem estavam com ela em Cingapura.

Até o momento, a polícia indiana prendeu seis pessoas suspeitas de envolvimento no estupro coletivo. A jovem viajava no ônibus praticamente vazio na companhia de um amigo quando foram atacados. Os dois foram jogados na rua depois do ataque, realizado com o ônibus em movimento.

O caso provocou ruidosos protestos na Índia, principalmente em Nova Délhi. Nas manifestações, os participantes exigiram mais proteção às mulheres e punições mais rigorosas a estupradores.

Ontem, a polícia do Estado indiano de Punjab exonerou e suspendeu policiais acusados de ignorarem o caso de uma adolescente que, semanas depois de ter sido violentada por um grupo de homens, suicidou-se por envenenamento na quarta-feira. De acordo com autoridades locais e familiares da vítima, os policiais teriam "orientado" a jovem a não registrar queixa contra seus agressores e a casar-se com um deles. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiaestupro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.