Morre líbio condenado por atentado de Lockerbie

O líbio Abdelbaset Ali Mohmet al-Megrahi, único condenado pelo atentado a bomba de Lockerbie, em 1988, que matou 270 pessoas, morreu neste domingo, segundo afirmou seu irmão, Abdelhakim al-Megrahi.

Agência Estado

20 Maio 2012 | 11h57

Médicos ainda vão determinar a causa da morte. Megrahi, de 60 anos, sofria de câncer de próstata e foi hospitalizado por alguns dias em abril, mas depois foi liberado para voltar para casa. Mesmo assim, em 16 de abril Abdelhakim disse que os dias do seu irmão estavam "contados".

Megrahi foi condenado em 2001 por um tribunal da Escócia pelo ataque ao voo 103 da Pan Am sobre a cidade de Lockerbie. Em 2009, ele foi libertado por razões humanitárias, após médicos afirmarem que ele tinha apenas três meses de vida. Ele foi recebido como herói quando voltou para a Líbia, na época controlada pelo ditador Muamar Kadafi.

O fato de Megrahi ter vivido muito mais tempo do que os médicos previram provocou indignação no Reino Unido e nos Estados Unidos. No segundo aniversário da sua libertação, em 20 de agosto de 2009, o governo escocês insistiu que a decisão de soltá-lo era justificável. Mas o primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse que a medida foi um "erro terrível".

A maioria dos mortos no atentado de Lockerbie era norte-americana. Todos os 259 passageiros e tripulantes do voo morreram, além de 11 pessoas que estavam em solo. Megrahi sempre alegou inocência. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Megrahi Pan Am Escócia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.