AP
AP

Morre líder checheno mais procurado da Rússia, dizem rebeldes

Doku Umarov é responsável por atentados ao aeroporto e ao metrô de Moscou há três anos

O Estado de S. Paulo,

18 de março de 2014 | 15h32

MOSCOU - Doku Umarov, o homem mais procurado da Rússia, está morto e foi substituído como líder da insurgência islâmica do Cáucaso do Norte, disse nesta terça-feira um site que simpatiza com os militantes chechenos. Se confirmada, sua morte é um progresso no esforço do presidente Vladimir Putin de encerrar a violência da luta contra o governo russo.

As forças de Umarov se responsabilizaram por vários bombardeios fatais, entre eles o atentado de Domedovo, em 2011, que deixou 35 mortos e 40 pessoas no metrô da capital russa em 2010. Sua morte já foi divulgada várias vezes pelo líder da região da Chechênia, apoiado pelo Kremlin, mas nunca antes por seus próprios simpatizantes.

O site do Centro Kavkaz publicou um obituário, em que chama Umarov de mártir que "deu 20 anos de sua vida à Jihad".

O site não diz quando ou como ele morreu, mas a publicação simultânea de um pronunciamento em vídeo de um militante se apresentando como substituto de Umarov indica que deve ter acontecido há algum tempo.

Um porta-voz do Comitê Nacional Antiterrorismo da Rússia foi citado pela agência estatal de notícias Irna dizendo não poder confirmar se Umarov está morto ou não.

Umarov, ex-líder rebelde checheno, uniu sob seu comando grupos militantes locais nas províncias da Chechênia, do Daguestão e do Cáucaso Norte em 2007. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.