Morre mais um suspeito da morte de promotor na Venezuela

Um segundo suspeito vinculado ao assassinato de um promotor venezuelano morreu hoje, durante um enfrentamento com forças de segurança, disse um policial. O comissário José Iglesias afirmou à imprensa que um homem, identificado como Juan Carlos Sánchez, de 32 anos, investigado no caso do promotor Danilo Anderson, perdeu a vida numa troca de tiros com a polícia. Segundo Iglesias, o conflito ocorreu quando a polícia tentava deter o suspeito dentro de um motel da cidade de Barquisimeto, na região central do país. Iglesias informou que em um veículo de propriedade de Sánchez foi encontrado material explosivo que, acredita-se, é de C-4, o mesmo utilizado no assassinato do promotor em 18 de novembro. Este é o segundo suspeito no caso Anderson que morre em conflito com a polícia. O advogado Antonio López Castillo, filho da ex-ministra e ex-senadora social-cristã Haydée Castillo, morreu na terça-feira, perseguido por policiais no centro da capital. Durante a operação, um policial também morreu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.