Morre na Espanha o líder sindical Marcelino Camacho

Morreu nesta madrugada, aos 92 anos, o histórico líder do sindicalismo da Espanha Marcelino Camacho. Ele estava em um hospital de Madri, em estado grave, havia vários dias, informou o sindicato Comissões Operárias (CCOO) em seu site. Não foi divulgada a causa da morte.

AE, Agência Estado

29 de outubro de 2010 | 11h25

Camacho combateu no lado republicano durante a Guerra Civil e passou mais de dez anos preso por suas ideias comunistas em distintas etapas do regime de Francisco Franco (1939-1975). Durante a ditadura, fundou na clandestinidade o sindicato de origem comunista CCOO, convertido hoje em um dos mais importantes e com mais afiliados do país.

Com a chegada da democracia, Camacho foi secretário-geral do sindicato desde sua legalização, em 1978, até 1987. Foi eleito parlamentar pelo Partido Comunista nas primeiras legislaturas após a morte de Franco. O papel dele foi chave na hora de se aceitar a reinstauração da monarquia, na transição democrática espanhola. O jornal El País qualifica Camacho em seu site como "o pai do sindicalismo moderno espanhol". As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhamortelíder sindicalCamacho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.