Morre no Havaí fotógrafo brasileiro durante mergulho livre

Sergio Goes, premiado fotógrafo que vivia no Havaí há 12 anos, estava desaparecido desde sexta-feira, 11

Agências Internacionais,

13 de julho de 2008 | 12h58

A Guarda Costeira da Ilha Galveston, Havaí, encontrou o corpo do fotógrafo brasileiro Sergio Goes na manhã de sábado, 12. Goes estava desaparecido desde sexta-feira, 11, quando saiu para mergulhar com amigos. As informações são do jornal Star Bulletin, de Honolulu.   O corpo de Goes, que morou no Havaí por 12 anos, foi encontrado a cerca de três quilômetros de Waikiki, informou a Guarda Costeira ao Star Bulletin e à rede de televisão KITV, afiliada da ABC no país.   O amigo e ex-cunhado de Goes, Raul Torres de Sa, disse ao jornal que a descoberta colocou um ponto final na aflição dos amigos e da família. Torres de Sa disse ainda que Goes deixa um filho de 6 anos, que ainda não sabe do ocorrido.   Segundo o jornal, o fotógrafo estava fazendo mergulho livre com outras quatro pessoas. Quando os quatro voltaram ao barco, notaram que Goes havia desaparecido. Segundo seu amigo, o fotógrafo mergulhou para tirar fotos subaquáticas. "Ele estava fazendo o que gostava de fazer, sempre gostou de correr alguns riscos para tirar boas fotos", disse.   Goes ganhou um Spirit Award no Brooklyn International Film Festival em 2002, por seu documentário Black Picket Fence.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.