REUTERS/Peter Nicholls
REUTERS/Peter Nicholls

Morre no Reino Unido a última mulher piloto da 2ª Guerra

Mary Ellis tinha 101 anos e estava em sua casa na ilha de Wight, no Canal da Mancha; durante o conflito, foi responsável pelo transporte de mais de mil aeronaves das fábricas até as diferentes bases da Força Aérea Real (RAF) britânica

O Estado de S.Paulo

26 Julho 2018 | 10h14

LONDRES - Mary Ellis, a última mulher britânica piloto na 2ª Guerra, morreu aos 101 anos em sua casa na ilha de Wight, no Canal da Mancha, informou nesta quinta-feira, 26, a emissora pública "BBC".

Mary foi membro do serviço Auxiliar de Transporte Aéreo (ATA, na sigla em inglês), uma organização civil que se ocupava de transportar os aviões de combate das fábricas até as diferentes bases da Força Aérea Real (RAF) britânica.

O ATA, que operou entre 1940 e 1945, tinha 1.152 pilotos homens e 168 pilotos mulheres - além de engenheiros e outros funcionários -, entre elas Mary, que dirigiu mil aeronaves durante o conflito, incluindo o famoso Spitfire.

A piloto, cujo nome de solteira era Mary Wilkins, se uniu ao ATA em 1941, depois de escutar um anúncio justamente na "BBC", relatou a emissora estatal.

Em 1950, Mary passou a dirigir o aeroporto de Sandown, na ilha de Wight, e em 1961 se casou com Sir Ellis, colega de ofício, com quem viveu perto dessas instalações aéreas até depois da morte dele, em 2009. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.