Morre o 17º soldado australiano no Afeganistão desde 2002

Austrália mantém mais de 1.500 soldados no país dentro da Força Internacional de Assistência para a Segurança

Efe,

10 de julho de 2010 | 07h14

SIDNEY, AUSTRÁLIA - Um soldado australiano morreu e outro ficou ferido em um ataque no sul do Afeganistão, elevando a 17 o número de militares da Austrália mortos no país asiático desde 2002, anunciou neste sábado, 10, o ministro da Defesa, John Faulkner.

O fato ocorreu na sexta-feira na conflituosa província afegã de Uruzgan, onde uma bomba foi detonada durante a passagem de uma patrulha australiana perto do vale de Chora.

Com este, já são 17 os soldados mortos desde que a Austrália começou sua missão no Afeganistão, há nove anos.

Faulker anunciou há pouco tempo que as tropas serão retiradas entre 2012 e 2014, depois que for encerrado seu programa de formação das forças de segurança afegãs.

No entanto, o titular da Defesa renunciará depois das eleições que serão convocadas nas próximas semanas pela nova primeira-ministra australiana, Julia Gillard, que acaba de substituir Kevin Rudd como líder dos trabalhistas.

Um efetivo de 1.550 soldados da Austrália está desdobrado desde 2002 no Afeganistão, onde participam de operações de combate e formação do Exército afegão dentro da Força Internacional de Assistência para a Segurança e sob comando da Otan

Seu contingente é o maior fora dos sócios da Aliança Atlântica.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistão, Austrália, soldados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.