Morre o médico que identificou pneumonia atípica na Ásia

Subiu de 10 para 12 o número de mortes provocadas por uma pneumonia atípica em Hong Kong, segundo lugar mais atingido pela misteriosa epidemia. As autoridades locais de Hong Kong informaram que há 427 casos da doença noterritório. O primeiro médico a identificar a pneumonia chamada deSíndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) morreu hoje por causada doença.O italiano Carlo Urbani, de 46 anos, trabalhava para aOrganização Mundial da Saúde (OMS) como especialista em doençasinfecto-contagiosas. Ele morreu na Tailândia, onde estava em tratamento depois de ter se contaminado no Vietnã, onde trabalhava. Foi lá que Urbaniidentificou o primeiro caso da pneumonia, num executivonorte-americano que chegou ao hospital de Hanoi e morreu porcausa da doença.Em Nova York, mais um caso da pneumonia foi registrado. O novoregistro faz subir para cinco o número de doentes na cidade.Todos foram tratados e apenas um continua internado, mas já forade perigo. Os pacientes contraíram a doença em viagens aosudeste asiático.Nos Estados Unidos, o número de casos supeitos da síndrome éde 59, segundo balanço oficial. Autoridades sanitárias dosEstados Unidos recomendaram que a população evite viajar parapaíses asiáticos. O objetivo é controlar a disseminação dadoença.Os principais aeroportos da Europa e as companhias aéreastomaram medidas de vigilância para detectar casos da pneumoniaentre os viajantes que chegam das áreas mais atingidas. Essespassageiros recebem folhetos com informação sobre a doença assimque desembarcam na Europa.O guitarrista Carlos Santana e o astro pop Moby anunciaram ocancelamento de seus shows em Hong Kong por causa da epidemia.Santana, que deveria se apresentar lá no dia 11 de abril,transferiu seu concerto para Osaka, no Japão.De acordo com a OMS, há 1.485 casos da pneumonia em todo omundo, com 54 mortes. A doença, provocada por um vírus, começacomo se fosse uma gripe, mas pode se complicar a ponto de levaro paciente para uma unidade de terapia intensiva em cinco dias.O período de incubação (quando a pessoa infectada ainda nãotem sintomas) tem variado entre dois a sete dias. Febre alta(superior a 38°C) e repentina, calafrios, dor muscular e tosseseca são os primeiros sintomas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.