Morre suspeito de atentados no Marrocos

Um homem suspeito de coordenar os atentados suicidas contra Casablanca que deixaram 43 mortos foi detido no início desta semana, mas morreu sob custódia policial, revelaram autoridades judiciais. Capturado na segunda-feira em Fez, o homem foi identificado como "Abdelhak" ou "Moul Sebbat", que significa "vendedor de calçados", disse Alaoui Belghiti, procurador-geral da corte de apelações de Casablanca, maior cidade do Marrocos. De acordo com Belghiti, o suspeito sofreu um problema cardíaco e morreu no momento em que era transferido para um hospital, disse Belghiti. As autoridades marroquinas não forneceram mais nenhum detalhe sobre o suspeito e não revelaram se ele possuía ligações com organizações extremistas estrangeiras. "Infelizmente, suas condições de saúde não permitiram que os investigadores concluíssem todos os procedimentos de inquérito", disse Belghiti à televisão estatal marroquina. As quatro explosões de 16 de maio tiveram como alvo um restaurante espanhol, um clube judaico, um cemitério e um hotel e também causaram danos no Consulado da Bélgica em Casablanca. Dos 43 mortos, 12 eram militantes suicidas. Na semana passada, três pessoas que estiveram em contato com os militantes foram detidas. Todos os suicidas eram marroquinos, mas as autoridades locais acreditam que os atentados foram planejados por uma rede extremista internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.