Morrem 2 fabricantes de bombas do Hamas e 1 soldado israelense

Um tiroteio e uma explosão num laboratório clandestino palestino causaram a morte de dois membros do Hamas e de um soldado israelense nesta sexta-feira. Ao mesmo tempo, um funcionário israelense disse que poderia ser alterado o curso do muro de segurança que Israel está construindo para separar os territórios palestinos de modo que ele inclua menos território da Cisjordânia do que havia sido planejado originalmente. O governo americano havia criticado a barreira, da qual uma pequena parte já foi construída e cuja trajetória entraria em algumas áreas cisjordanianas para proteger alguns assentamentos judaicos. Embora o líder do Hamas tenha dito que o ataque israelense desta sexta-feira violou o cessar-fogo, espera-se que o tiroteio no acampamento de refugiados de Askar, perto da cidade de Nablus, no norte da Cisjordânia, não afete a trégua declarada em 29 de junho pelos principais grupos ativistas palestinos. O incidente começou antes da madrugada de hoje, quando soldados israelenses lançaram um míssil contra um edifício no acampamento, causando várias explosões, ao tentar prender dois supostos fabricantes de bombas do Hamas, Khamis Abu Salem e Said Fadder, disse o coronel Arieh Knafo, que dirigiu o ataque.Um soldado israelense e um membro do Hamas morreram no tiroteio. Uma explosão no edifício deixou enterrado sob os escombros um ssegundo fugitivo do Hamas, disse o coronel. Mais tarde, os soldados israelenses explodiram o que restou da construção atacada por míssil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.