Morrem mais de 50 insurgentes em combate no Afeganistão

Grupo de talebans ataca militares e batalha dura mais de 12 horas; um soldado fica ferido

Efe,

26 Julho 2007 | 03h45

Mais de 50 supostos insurgentes morreram na província de Helmand, no sul do Afeganistão, num confronto com o Exército afegão e forças dos Estados Unidos, informou nesta quinta-feira o comando americano.   O combate começou na quarta-feira à noite, a cerca de 20 quilômetros da localidade de Qal Eye Gaz, no norte de Helmand. Um grupo de talebans atacou os militares utilizando armamento pesado, granadas e armas leves, segundo um comunicado do comando.   As forças afegãs e dos EUA "imediatamente responderam ao fogo e pediram reforços aéreos", que bombardearam as instalações onde se refugiavam os rebeldes. A batalha levou mais de 12 horas e terminou na manhã desta quinta-feira.   Segundo o comunicado, as instalações rebeldes aparentemente abrigavam uma grande quantidade de material explosivo.   Ao fim da batalha, "foi confirmada a morte de mais de 50 insurgentes e um número indeterminado de feridos", afirmou o comando americano. A nota acrescentou que entre os militares só houve um ferido. Além disso, 16 instalações, que supostamente eram dos talebans, foram destruídas, assim como vários veículos.   O comando americano ressaltou que, segundo relatórios dos serviços secretos, há uma "forte concentração" de insurgentes talebans na área de Moussa Qala, onde aconteceu o combate.   Na terça-feira, a Força para a Assistência à Segurança (Isaf) anunciou o lançamento de uma grande operação em Helmand, com milhares de soldados afegãos e da Otan. O objetivo é apoiar a presença das tropas conjuntas e expulsar os talebans.   Nos últimos dias houve contínuos confrontos na zona de Helmand, e só em Moussa Qala morreram 160 insurgentes desde domingo, segundo o comando americano. A província é uma das mais conflituosas do Afeganistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.